Quando eu escrevo sobre programas sociais mal formulados, eu estou avisando sobre o futuro grego dos Estados Unidos. Falando claramente, nós viveremos o mesmo caos e desordem que atualmente aflige a Grécia se não nos engajarmos em reformas importantes. De preferência agora, em vez de deixar para depois. Mas quando escrevo sobre os governos estaduais, talvez seja mais apropriado alertar sobre um futuro brasileiro. Isto porque muitos estados americanos fizeram promessas impagáveis ao garantir generosos benefícios aos funcionários públicos aposentados, um assunto que venho abordando em numerosas ocasiões. E por que isso significa um futuro brasileiro? Porque como a Grécia já está sofrendo as consequências inevitáveis de um estado de…

O novo índice Liberdade Econômica do Mundo classifica 159 países a partir de cinco medidas de liberdade econômica: tamanho do governo, sistema jurídico e direitos de propriedade, moeda forte, liberdade para comercializar internacionalmente e regulamentação. Publicado pelo Fraser Institute, os dados mostram uma forte correlação entre liberdade econômica e progresso humano. Pessoas que vivem nos países que compõem o quarto mais economicamente livre não só têm maior PIB per capita do que aqueles no quarto inferior, como também vivem mais, gozam de maior liberdades política e civil e tendem a ser mais felizes com suas vidas. Paridade de gênero importa Pela primeira vez, o índice mudou a sua metodologia para…

O problema da desigualdade tem sido frequentemente considerado um dos maiores problemas sociais da nossa geração. A preocupação generalizada com as grandes disparidades de renda e riqueza alimentou sentimentos antiglobalização ao redor de todo o mundo e ameaça prejudicar os avanços no comércio, investimentos e imigração que temos visto. Um problema fundamental é que discussões contemporâneas sobre a desigualdade têm muitas vezes confundido ela com a pobreza. Não só a desigualdade e a pobreza são conceitualmente diferentes, como uma falha na distinção entre elas pode levar a conclusões problemáticas sobre políticas. Adicionalmente, quando os defensores do mercado criticam políticas redistributivas e programas de assistência do governo, são vistos como anti-pobres.…

Sexy and the City 3 pode ter acabado, mas a febre por lindas roupas que a franquia da HBO exibiu, não. Assim como a (anti-) heroína Carrie Bradshaw demonstra tendo Manolo Blahniks e Prada, eu aprecio um closet ilimitado e rotativo de roupas de grife e acessórios. Mas diferentemente da Carrie, eu não possuo nenhum destes itens – eu pago por uma “assinatura ilimitada” do Rent the Runway, que permite que eu alugue quaisquer quatro itens por vez. Viva la revolución fashion Rent the Runway é parte da economia compartilhada, que permite que organizações e indivíduos compartilhem ativos físicos subutilizados como serviços. Neste caso, os ativos subutilizados são maravilhosas roupas…

Eu concordo plenamente com meus amigos de esquerda que afirmam que corporações querem extrair cada centavo que elas puderem dos consumidores. Eu também concordo (em grande parte) com eles quando dizem que corporações são entidades sem alma que não se importam com as pessoas. Mas depois que eles terminam de desabafar, eu tento educá-los ao apontar que a única maneira das corporações separarem os consumidores e o seu dinheiro é competindo vigorosamente para oferecer bens e serviços desejáveis a preços atrativos. Além disso, a sua busca "sem alma" por este lucro (como explicado por Walter Williams) as levará a ser eficientes e inovadoras, o que estimula a produção total da…

O ano de 2017 é um marco na história econômica e na história da economia. O golpe de Estado Outubro Vermelho ocorreu, inspirado em Marx, na Rússia há um século. O primeiro volume de "O capital, uma crítica da economia política" de Marx foi publicado há 150 anos. "Os princípios de economia política e tributação" de David Ricardo foi publicado há 200 anos. Golpe fatal ao mercantilismo O bicentenário do livro de Ricardo vale a pena comemorar porque este livro terminou um debate crucial sobre os méritos do comércio  internacional. Os mercantilistas do século 18 acreditavam que uma nação poderia se tornar mais rica através de superávits comerciais – com exportações maiores…

A última terça-feira marcou o 25º aniversário do Dia Internacional das Nações Unidas para a Erradicação da Pobreza. A data intencionalmente coincide com o trigésimo aniversário do Call to Action, que viu o ativista francês contra a pobreza, padre Joseph Wresinski, pedir à comunidade internacional, diante de 100 mil parisienses, um "esforço para erradicar a pobreza extrema". Para marcar a ocasião, António Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas, apareceu em um pequeno vídeo avaliando o estado atual da pobreza mundial. Apesar de ter apontado questões como desemprego, desigualdade e conflito que continuam em algumas regiões, Guterres observou corretamente que, desde 1990, o mundo fez "progressos notáveis na erradicação da pobreza". Embora…

Hoje mais cedo, o Instituto Fraser publicou a 21ª edição do relatório anual da Liberdade Econômica do Mundo. O think-tank canadense usa 42 dados estatísticos em cinco áreas diferentes (tamanho do governo, direito à propriedade privada, estabilidade econômica, liberdade de comércio internacional e regulamentação) para ranquear a liberdade econômica de 159 países e territórios. Os resultados? Como diz Johan Norberg, "a liberdade é maravilhosa". O que ele quer dizer é que - quase sem exceção - quanto mais livre é o país, mais rápido é seu crescimento econômico e mais alta é a renda de seus cidadãos. O relatório completo está disponível no site do Institute Fraser. Mas aqui estão…

É muito comum, em alguns manuais de Direito Constitucional e Ciência Política editados no Brasil, a assertiva de que o Estado liberal provocou imensas injustiças sociais, e que tais injustiças derivaram da cultura da não intervenção e do abstencionismo estatal perante a comunidade, típicos daquele período histórico. Afirmam ainda alguns autores, que as liberdades daquele tempo eram insuficientes, e que o Estado, à partir das diversas crises ocorridas dentro do liberalismo, precisou adotar posturas ativas na busca pela justiça social e pelo controle da economia. Teria passado o Estado, então, a adotar uma dogmática social, em detrimento do sentimento liberal outrora predominante. Acontece, todavia, que a maneira como alguns teóricos…

Meu colega Gordon Tullock é conhecido, com justiça, por seu importante papel no estabelecimento de bolsas de estudos sob a perspectiva da teoria econômica da "Escolha Pública". Mas se você pedir aos economistas que citem, especificamente, a contribuição teórica pela a qual Gordon é mais conhecido, a maioria provavelmente afirmaria que é o rent-seeking. Embora jamais tenha cunhado esse termo — que foi introduzido neste artigo de 1974 por Anne Krueger, Gordon apresentou o seu conceito no artigo "The Welfare Costs of Tariffs, Monopolies and Theft", publicado em 1967 no Western Economic Journal. A ideia é tão brilhante e importante quanto simples. E, como tantos conceitos importantes, é óbvia quando…

Além de seu trabalho exemplar como membro sênior para o Cato Institute, Johan Norberg produz alguns ótimos vídeos para o Free to Choose Media. Aqui estão alguns que chamaram minha atenção. A tola e contraproducente guerra às drogas. Uma terrível consequência do comunismo cubano. A verdadeira . Mas meu vídeo favorito, o qual compartilhei em janeiro, é sua concisa explicação de por que os políticos devem focar em combater a pobreza em vez de reduzir a desigualdade. Estou postando novamente para preparar o terreno para uma discussão sobre desigualdade e justiça. Agora vamos entrar no principal tópico de hoje. Um estudo de três acadêmicos do Departamento de Psicologia de Yale…

Com o frenesi do eclipse solar acabando, os consumidores que diligentemente protegeram seus olhos podem voltar suas atenções para uma lição fundamental da economia. Um mês atrás, os maiores vendedores dos óculos de segurança para eclipse solar vendiam lotes de 10 por cerca de 4 dólares. Hoje, porém, o mesmo produto é vendido por pelo menos 150 dólares. Inevitavelmente, acusações furiosas de “especulação de preços” surgem dos leigos em economia, que reclamam que os vendedores estão cobrando preços excessivos, explorando condições atípicas de mercado. Como pode o valor de um item ter aumentado de forma tão significativa em um curto espaço de tempo, especialmente quando os óculos para eclipse custam…

Um artigo recente do New York Times discutindo o licenciamento dos taxistas da cidade de Nova York ilustra como a inovação e a crescente competição podem levar a novas formas de regulamentação. Aplicativos como o Uber e o Lyft deslocaram os taxistas e desvalorizaram seus alvarás, que são o documento que os permite operar táxis. A ascensão e a queda dos alvarás de táxi Desde 1937, Nova York exige que os táxis comprem alvarás para operar e estabeleceu um número limite para esses alvarás. Por muitos anos, a escassez artificial criada pela limitação de emissão de alvarás – atualmente apenas 13.587 estão disponíveis – impulsionou o preço do licenciamento para…

Frédéric Bastiat, o grande economista francês (sim, tais criaturas costumavam existir) do século XIX, observou que um bom economista sempre de qualquer ação. Um economista desleixado analisa os destinatários dos programas governamentais e declara que a economia será estimulada por esse dinheiro adicional que é facilmente visto, enquanto um bom economista reconhece que o governo não pode redistribuir o dinheiro sem causar prejuízos invisíveis ao, primeiramente, tributar ou pegar emprestado do setor privado. Um economista desleixado analisa os resgates financeiros e declara que a economia será mais forte porque as firmas ineficientes que se mantêm nos negócios são facilmente visíveis, enquanto um bom economista reconhece que tais políticas impõem danos…

As duas vezes que visitei o Brasil, tive a impressão que este era um país que anseia em ser livre. Sua cultura é tão rica e variada, seu povo é tão numeroso, seus hábitos e costumes são tão imbuídos de tradição e gestos informais, sua comida é tão espetacular, me pareceu um país em que seria impossível comandar do centro. Suas cidades foram construídas por tantas gerações, milhões de mentes, uma coordenação incrível de planos diversos através do tempo e do espaço, que me pareceu um lugar intrinsecamente resistente ao planejamento central. Presidentes poderiam desfilar e se vangloriar, ditadores poderiam berrar e gritar, alguns setores poderiam ser nacionalizados à força,…

Pronuncia-se "lá-sê-fér". As origens francesas do termo datam do final da Renascença. Diz a lenda que foi usado pela primeira vez no ano de 1680, época em que o Estado-nação estava em ascensão em toda a Europa. O Ministro das Finanças francês, Jean-Baptiste Colbert, perguntou a um comerciante chamado M. Le Gendre o que o Estado poderia fazer para promover a indústria. De acordo com a lenda, a resposta foi: "Laissez-nous faire", ou "deixe ser". Este incidente foi relatado em 1751 no Journal Oeconomique pelo renomado defensor do livre comércio Rene de Voyer, o Marquês d'Argenson. O slogan foi codificado, finalmente, nas palavras de Vincent de Gournay: "Laissez-faire et laissez-passer,…

Close
MENUMENU