Muitos leitores pedem dicas de material para estudo, principalmente livros. Decidimos então fazer algumas listas com sugestões que podem ajudá-los a estudar economia ou o liberalismo econômico por conta própria. Essa é a nossa lista de recomendações de livros sobre a Escola Austríaca.

Essas listas voltaram a ser atualizadas e até os primeiros meses de 2019, devemos ter onze delas com mais de 50 recomendações no total. Para cada recomendação, colocamos links para que o livro seja encontrado mais facilmente. Comprando seu livro na Amazon através dos nossos links, você estará pagando o preço normal e ainda colabora com o nosso trabalho. Obrigado!

Listas de livros de economia

Escola Austríaca

A Escola Austríaca, favorita de grande parte dos economistas liberais, surgiu em 1871 com a publicação de Princípios de economia política, de Carl Menger. Essa escola é uma evolução do liberalismo clássico e teve ampla aceitação no final do século 19 e início do século 20, até que as ideias keynesianas caíssem no gosto dos formuladores de políticas públicas.

Com o crescimento do liberalismo nas últimas décadas, ressurgiu também o interesse pelo trabalho destes economistas (e seus sucessores que continuaram desenvolvendo durante todo esse tempo). Suas principais características são a análise dedutiva e a ênfase nos indivíduos e nos aspectos subjetivos das decisões humanas.

Há uma certa rivalidade entre a Escola Austríaca e a Escola Neoclássica. Enquanto a primeira baseia suas análises em construções lógicas, a segunda se apoia mais em técnicas estatísticas e fórmulas matemáticas. Mais importante do que escolher uma delas, é conhecer as duas!

Os livros de Robert Pindyck e de Gregory Mankiw que estão na lista Teoria econômica são livros emblemáticos da Escola Neoclássica. Agora vamos conhecer os principais livros da Escola Austríaca.

A Escola Austríaca, de Jesús Huerta de Soto

Este livro de Jesús Huerta de Soto é uma ótima introdução à Escola Austríaca, já que realça as principais ideias dos mais importantes economistas desta corrente de pensamento. Ele começa discutindo algumas questões tanto pela abordagem austríaca como pela neoclássica, a fim de ficar claro para o leitor o contraste que há entre essas duas escolas.

Depois analisa dois conceitos chave da Escola Austríaca: as questões do conhecimento e do empreendedorismo. E finaliza contando toda a evolução dessa linha de pensamento, trazendo as principais contribuições de cada economista, desde o seu surgimento com Carl Menger até o ressurgimento atual com Murray Rothbard e Israel Kirzner.

O livro é relativamente rápido e objetivo. Para quem quer ler os dois seguintes dessa lista, serve para situar onde está cada um deles.

Alternativas: Instituto Rothbard (em PDF), buscapé.

O caminho para a servidão, de Friedrich Hayek

Essa é a primeira das três principais joias do prêmio Nobel em economia Friedrich Hayek, escrita durante a Segunda Guerra Mundial – e para muitos, a mais acessível. Para quem gostar, recomendamos que leiam também Os fundamentos da liberdade e Direito, legislação e liberdade.

Em O caminho da servidão, Hayek aponta os perigos de uma economia planejada centralizadamente, como defendem os socialistas. Quando as decisões econômicas são tomadas por um pequeno conjunto da sociedade – os governantes –, a liberdade dos demais é necessariamente tolhida. E esse é, segundo o autor, o inevitável caminho à servidão do totalitarismo.

O livro é fácil e agradável de ler. Suas primeiras edições esgotaram imediatamente em 1944, e é até hoje um dos livros mais vendidos e influentes sobre economia e liberalismo. Suas lições são profundas e inspiradoras, e essa é uma de nossas recomendações mais seguras.

Alternativa: buscapé.

Ação humana, de Ludwig von Mises

Esse livro é a grande obra-prima de Ludwig von Mises, maior economista da Escola Austríaca. Seu conteúdo faz jus ao subtítulo: um tratado de economia.

O elemento central do livro é o cálculo econômico. Segundo Mises, as pessoas agem para melhorar seu nível de satisfação: aceitam um emprego para ter renda, tiram o dia de folga para descansar, abrem um novo negócio porque acreditam que podem ganhar dinheiro, etc.

Como nunca estamos satisfeitos com a situação em que estamos, como queremos sempre mais, estamos sempre tomando novas ações. A análise das opções disponíveis frente aos fins que desejamos é o que o autor chamou de cálculo econômico, e é o problema fundamental da economia.

Este livro é extenso e desafiador, mas é também recompensador e aprofundará extraordinariamente seus conhecimentos sobre a ciência econômica. Além disso, é a principal contestação dos livros neoclássicos.

Alternativa: buscapé.

Dez lições fundamentais de economia austríaca, de Ubiratan Jorge Iorio

Depois de Ação humana, o leitor certamente precisará de uma leitura leve e de revisão. Recomendamos este livro de Ubiratan Iorio que destaca dez questões econômicas esclarecidas através dos ensinamentos da Escola Austríaca.

O livro é um curso do Instituto Mises Brasil que tem por objetivo contrapor os equívocos econômicos cometidos por leigos no assunto sobre algumas questões cruciais, como os efeitos dos controles de preços, o que é moeda, lucros e perdas das empresas, etc.

São apenas 70 páginas escritas em linguagem informal e acessível. Para quem quiser ler apenas um livro dessa lista (o que lamentamos), esse talvez seja o mais indicado por tratar de muitos assuntos diferentes. A cada capítulo, o autor sugere leituras de aprofundamento no tema discutido.

Alternativa: buscapé.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close