Leitura de 5 minutos.

Este artigo é uma compilação com algumas perguntas respondidas por Don Boudreaux, professor da Universidade George Mason, Cátedra Getchell para o Estudo do Capitalismo de Livre Mercado do Mercatus Center em um Ask Me Anything – AMA realizado em um fórum online da Foundation for Economic Education. Ask Me Anything é traduzido como “pergunte-me qualquer coisa”, e é um tópico de fórum em que um participante se dispõe a responder qualquer questão dos demais.

Como podemos espalhar a ideia de que o capitalismo tem sido a força motriz do progresso humano de uma maneira que encontre acolhida entre nossos amigos da esquerda?

Ótima pergunta. Nós apenas podemos fazer o que podemos fazer.

Como o fundador da FEE, Leonard Read, muitas vezes disse, nossa ferramenta é a persuasão. Felizmente, temos uma montanha de fatos do nosso lado.

Na realidade, quanto mais livre é a sociedade, mais ricos são não apenas “os ricos” nessa sociedade, mas também os pobres – que se tornam ricos em comparação com pessoas comuns em sociedades menos livres.

Cada um de nós tem um papel a desempenhar na promoção da causa da sociedade livre. Alguns o fazem escrevendo artigos altamente técnicos em economia ou em direito. Outros escrevem editoriais. Outros conversam casualmente com amigos. Os modos e as oportunidades são muitas e cada pessoa deve descobrir onde ela melhor se enquadra.

Você me inspirou através de suas cartas constantes / incansáveis para o editor. Qual é o seu objetivo real com estas cartas?

Meu objetivo originalmente era tanto aliviar a frustração pessoal que eu sinto sempre que encontro algum analfabetismo econômico ou uma desinformação histórica grosseira, quanto conseguir que cada carta fosse publicada, na esperança de que fosse lida. Meu objetivo não é mudar os resultados das políticas públicas atuais; não acredito que isso seja possível.

Esses resultados serão o que são por causa das ideias e a ideologia atualmente preponderantes. Espero ajudar a mudar os resultados das políticas públicas apenas no futuro, através da minha pequena contribuição de ajudar a tornar as ideias de livre mercado e do liberalismo clássico mais amplamente compreendidas e atraentes.

Donald Boudreaux, por FEE.

Você pode, por favor, explicar suas opiniões sobre os direitos de propriedade dos ameríndios? Os direitos de propriedade foram violados? Isso aconteceu simplesmente porque os índios não tinham meios de fazê-los respeitados? Não houve, de fato, nenhum dano causado pela abordagem do “mercado livre” para a colonização das Américas?

Não tenho expertise em história, mas minha opinião é que certamente houve muitas violações de direitos pelos exploradores e colonos europeus nas Américas contra as populações nativas. Essas violações continuaram até meados do século XIX nos Estados Unidos.

E o fato de que as populações indígenas das Américas com frequência cometeram violações de direitos contra si mesmas não exime as violações cometidas pelos europeus. No entanto, a questão agora, presumivelmente, é: o que fazer com relação a essas violações passadas?

Minha resposta é: nada. Nada pode desfazer os danos e as violações do passado.

Com todas as conversas sobre assistência médica, parece haver muito pouco feito sob uma verdadeira abordagem de livre mercado. Existe uma maneira razoável de sair de onde estamos e chegar onde podemos / devemos estar?

Os cuidados com a saúde (como com dinheiro e bancos) não são o meu forte, por isso não tenho uma resposta boa e detalhada. Tenho certeza de que reduzir o papel do governo na assistência médica melhoraria a situação, mas os custos com a transição de reduzir o envolvimento do Estado seriam enormes.

Então, eu temo que o Estado continuará a desempenhar um papel importante na assistência médica, levando esse mercado a ter um desempenho cada vez pior e, portanto, levando a decisões – embora equivocadas – em direção a um maior envolvimento do Estado. Não sou otimista quanto ao futuro do mercado de saúde.

Quanta prosperidade nosso governo nos custa?

Boa pergunta. Há na literatura várias tentativas de calcular em dólares esta questão.

Eu sou cético em todas essas tentativas. O livre mercado é tão criativo que não temos como saber como seria a economia na ausência de um pedaço significativo de interferência do governo.

Tudo o que vou dizer é que esta interferência está nos custando “bastante” – quase certamente mais do que é calculado por qualquer estimativa empírica existente.

Como você desenvolveu uma paixão tão forte por explicar a lógica do livre comércio?

O comércio é um dos assuntos econômicos menos complicados para entender, mas também está entre aqueles (juntamente com a política monetária) que são amplamente incompreendidos pelo público em geral. Não possuindo uma mente profunda o suficiente para compreender adequadamente a teoria monetária, me atenho ao assunto mais simples do comércio.

A incompreensão das pessoas sobre o comércio é tão profunda e ampla – e os danos causados por más políticas comerciais são tão significativos – que vale a pena o meu tempo para evitar as falácias neste front. A relativa facilidade e a profunda diversão de expor as falácias sobre o comércio, se tornam ainda mais atraentes para mim, pelo fato que, na medida em que o protecionismo é evitado, os grupos de produtores que buscam privilégios são frustrados.

Tenho uma intensa aversão ao favorecimento.

Você acha que os conselhos fiscais e monetários economicamente bem fundamentados de Steve Moore, Larry Kudlow e da Heritage Foundation podem mitigar a tolice da política de déficit de conta corrente da administração?

Bem, a boa política monetária e fiscal são boas por si só e mitigarão os efeitos negativos de políticas ruins. Mas essa realidade não significa que devamos cessar nossos esforços para criticar as políticas públicas mal fundamentadas em relação ao comércio.

Você pode discutir brevemente a relação entre déficit fiscal e nível da dívida de uma economia e seu impacto na balança comercial?

Se um governo tomar emprestado mais (o que provavelmente fará se o seu déficit orçamentário aumentar), também é provável que parte desse financiamento seja oriundo do exterior. Na medida em que os estrangeiros emprestam mais ao governo, o déficit da conta corrente desse país (“comércio”) aumenta.

Acredito, em suma, que um aumento do déficit orçamentário do governo pressiona para cima (embora não exija) um aumento do déficit comercial. Mas não acredito que a causalidade funcione na direção oposta, isto é, não acredito que um aumento do déficit comercial faz com que o governo enfrente déficits orçamentários maiores.

Quais são os seus livros favoritos de não ficção que defendem o capitalismo de livre mercado e / ou a liberdade individual?

Ah, são tantos! Aqui estão apenas alguns (sem ordem de preferência):

  • Economia numa única lição (Henry Hazlitt)
  • O caminho para a servidão (F.A. Hayek)
  • Direito, legislação e liberdade, Vols. 1 e 2 (F.A. Hayek)
  • Os fundamentos da liberdade (F.A. Hayek)
  • Sofismos econômicos1 (Frederic Bastiat)
  • A incrível máquina do pão2 (R. W. Grant)
  • Liberalismo (Ludwig von Mises)
  • Planejando a liberdade3 (Ludwig von Mises)
  • O que todos deveriam saber sobre economia e prosperidade (James Gwartney, et al.)

Notas:

  1. Tradução livre. (N. do T.)
  2. Tradução livre. (N. do T.)
  3. Tradução livre. (N. do T.)

Sobre o Autor

Donald Boudreaux é professor de economia na George Mason University, membro sênior do Fraser Institute e colaborador no blog Café Hayek.

Close
MENUMENU