Arquivo de Assuntos Intervenção Estatal

Eleitores frustrados geralmente se perguntam por que, depois de elegerem legisladores bem-intencionados, tantas das políticas econômicas do governo se mostram desastrosas. Parte da resposta se sustenta na quase irresistível dinâmica da política pública de “dobrar a aposta” nos equívocos. Legisladores, a imprensa e o público precisam compreender a força deste fenômeno e se proteger dele quando adotam políticas públicas. De forma simples, a dinâmica é a seguinte: O governo, em resposta a uma necessidade observada, toma ações para atender esta necessidade de uma forma que distorce o comportamento econômico e cria previsíveis efeitos adversos. A população consequentemente passa por apuros e demonstra preocupação. Os próprios problemas se tornam justificativas para…

O que é intervencionismo? O intervencionismo significa que o Estado não restringe sua atividade à preservação da ordem, ou – como diziam as pessoas cem anos atrás – à “produção de segurança”. O intervencionismo significa que o Estado quer fazer mais. Ele quer interferir com fenômenos de mercado. Se alguém levanta objeção e diz que o Estado não deve interferir com os negócios, as pessoas frequentemente respondem: “Mas o Estado sempre necessariamente interfere. Se há policiais nas ruas, o Estado está interferindo. Ele interfere no ladrão que saqueia uma loja, ou quando evita que um homem roube um carro.” Mas quando lidamos com intervencionismo e definimos o que significa intervencionismo,…

Eu já argumentei anteriormente que direitos de propriedade privada são um componente vital de qualquer programa pró meio ambiente. Curiosamente, o Washington Post meio que concorda. Ao menos no que diz respeito às áreas de pesca. Em um editorial recente, reconheceu que o modelo coletivista atual não funciona. As áreas de pesca do mundo, que alimentam bilhões de pessoas, estão em profundo declínio. Os autores de um estudo publicado na segunda-feira no Proceedings of the National Academy of Sciences examinou 4.713 áreas de pesca, contabilizando 78% da pesca anual no mundo, e descobriu que apenas um terço delas estava em condições biológicas decentes. O editorial então aponta para o fato…

Em condições normais de mercado (ou seja, quando não há qualquer interferência do governo em seu funcionamento), um aumento na demanda por um determinado bem ou serviço desencadeia uma série de efeitos: Esse aumento na demanda faz com que o preço do produto suba, porque agora há mais consumidores disputando a mesma quantidade do produto que havia antes. Esse aumento de preços faz com que o lucro dos produtores nesse setor também aumente, já que não houve qualquer alteração em seus custos, mas agora estão vendendo a um preço maior do que antes. Esse aumento de lucros aumenta a quantidade ofertada do produto por conta de dois movimentos distintos: Os…

Em uma economia onde todos os bens são produzidos pela iniciativa privada e não há interferência nos preços por parte do governo, o preço desses bens são determinados por oferta e demanda. Ou melhor, são determinados por uma livre concorrência entre os produtores e por outra livre concorrência entre os consumidores. Se há concorrência entre os consumidores, isso significa que nem todos conseguirão comprar tudo o que precisam. Nesse cenário, é muito tentador para alguns políticos fixar preços máximos para aquilo que julgam "artigos essenciais" para as famílias. Na cabeça deles, isso iria fazer com que mais famílias (e principalmente as mais pobres) tivessem acesso a esses bens essenciais. Há…

Close
MENUMENU